Negociação: Sindicato reafirma a defesa dos trabalhadores

A reunião, aberta pelo presidente do Sindilojas, Paulo Mota e com a presença de representantes do Aeroshopping, que busca flexibilizar a abertura das lojas do aeroporto, foi de exposição das posições dos dois lados: patronal e dos comerciários.

Paulo Mota iniciou sua exposição informando que tem procurado levar aos diversos setores patronais a pauta apresentada pelo Sindicato dos Comerciários, no sentido de ouvir mais amplamente os lojistas e construir um bom termo para apresentar aos comerciários, mas adiantou que a disposição patronal é ter como referência a Convenção Coletiva em vigor.

Mota se queixou que o quadro político, econômico e fiscal não é favorável para os patrões e disse que a pretensão patronal é construir um quadro de razoabilidade para todos.

Jaelson Dourado, presidente do Sindicato dos Comerciários de Salvador, ressaltou que os números divergem da informação de dificuldades pela qual o patronato afirma passar. “Nos últimos dez anos o comércio brasileiro teve lucros espetaculares e o comércio da Bahia teve o crescimento acima da média nacional. Mesmo com o recuo do último período, os empresários vêm acumulando ganhos de toda última década”, afirmou Jaelson.

O presidente Jaelson também reafirmou que o Sindicato dos Comerciários tem disposição para construir consensos, mas confirmou as questões essenciais defendidas pelos trabalhadores. “Podemos avaliar formas de avançarmos na questão do aeroshopping. Precisamos evoluir para o pagamento de horas extras em todos os domingos. Discordamos do pagamento do estacionamento em shoppings pelos comerciários, que devem ter isenção total. Precisamos garantia de uma alimentação minimamente digna, ampliando o vale-alimentação para R$ 15”, defendeu Jaelson.

Jaelson também ressaltou que a cláusula econômica, onde o Sindicato dos Comerciários defende a reposição da inflação, mais o ganho real de 4%, é central para os comerciários.

Paulo Mota disse que todas essas preocupações serão levadas o mais amplamente possível para a apreciação do patronato, que se reúne no próximo dia 02 de março e, a partir daí, deverão trazer a posição do empresariado para a próxima rodada de negociação que está marcada para dia 04 de março, às 10h, no Sindilojas.

Compartilhe:

Deixe seu recado