Paralisação contra demissões no Itaú

Os motivos são variados. Primeiro, pelo alto número das demissões nos últimos dias. Foram 15 dispensas. Em alguns casos, os bancários gozavam de estabilidade pelo B91 – quando o trabalhador tem assegurado benefício do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) em razão de acidente de trabalho.

Nestes casos, as demissões foram revertidas graças à atuação do Sindicato dos Bancários da Bahia. Além disso, as denúncias são de que, durante a greve, gestores da área comercial do banco estavam orientando os gerentes a chamarem a polícia para enfraquecer o movimento legítimo. Total abuso.

As práticas antissindicais são seguidas também por discriminação. Segundo os dirigentes sindicais, os gestores da área comercial dão tratamento diferenciado aos trabalhadores licenciados por doenças ocupacionais, sejam de forma física ou psicológica. Assédio moral que gera revolta.

O Sindicato da Bahia já entrou em contato com a área de Relações Sindicais do Itaú e vai a outros órgãos competentes em busca do fim do autoritarismo no banco. É inadmissível que a empresa que mais lucra no país trate os funcionários com descaso e abuso.

Fonte: CTB Bahia

Compartilhe:

Deixe seu recado