Bahia tem primeiro estádio da AL com energia solar

Com a utilização dessa energia alternativa, o Governo do Estado estima economizar cerca de R$120 mil/ano, além de fomentar o uso de novas tecnologias sustentáveis. A energia solar gerada e interligada à rede de distribuição será equivalente a 630MWh ao ano, capaz de abastecer 525 residências. O projeto, que custou mais de R$ 5,5 milhões, dos quais R$ 3,8 milhões aplicados pela Coelba e R$ 1,75 milhão pelo governo estadual foi executado pela Coelba.

Investimentos

O consumo médio anual do estádio é de 360 MWh, o excedente de energia gerado é de 270 MWh será compensado do consumo de energia elétrica da Setre. “A energia, além de suprir as necessidades do estádio, ainda vai contribuir para o consumo de energia elétrica do Governo do Estado. A economia que vamos fazer ao longo dos anos justifica os investimentos feitos com a instalação do projeto”, afirmou o secretário Nilton Vasconcellos.

Na configuração do sistema de geração foram utilizados 2.302 módulos fotovoltaicos, 52 inversores, equipamento responsável por adequar a eletricidade gerada às características da rede elétrica, construídas três salas elétricas para os inversores e instalados sistema de medição e aquisição de dados elétricos e ambientais.

De acordo com o presidente do Grupo Neoenergia, Marcelo Correa, os sistema de fotovoltaicos, instalados em Pituaçu, estão conectados à rede elétrica de distribuição, permitindo que toda energia solar produzida seja enviada para a rede da Coelba.

Para o governador Jaques Wagner, o estádio de Pituaçu, que é candidato a centro oficial de treinamento do Mundial de Futebol da Fifa, em 2014, segue uma tendência mundial quando utiliza energia limpa em um equipamento esportivo. “Fico feliz pela Bahia estar dando exemplo de sustentabilidade e inaugurar o primeiro estádio da América Latina com energia limpa. Vale a pena investir neste tipo de energia, porque, além da economia, estamos ajudando na proteção do meio ambiente. Esperamos que o exemplo seja repetido em outros lugares”.

Economia

Além do sistema de energia solar, a economia no consumo de energia do estádio de Pituaçu ocorrerá também com a substituição dos projetores por holofotes. Para isso, foi assinado um convênio entre Governo do Estado e Coelba com investimento de aproximadamente R$ 844,8 mil. Os novos equipamentos vão proporcionar maior nível de iluminação. Na ocasião também foi assinado um novo convênio para substituição que, além de promover maior nível de iluminação, proporcionará economia no consumo de energia.

Biogás

Outro documento assinado foi o protocolo de intenção no valor de R$ 3,42 milhões para pesquisa e desenvolvimento de projeto visando à geração de eletricidade, por meio do biogás liberado no tratamento de esgoto da estação Jacuípe II, em Feira de Santana. O projeto será desenvolvido sob a gerência da Coelba e a coordenação da Embasa. A duas empresas serão responsáveis pelos custos da pesquisa e do desenvolvimento do projeto de inovação na produção de energia elétrica utilizando um dos gases gerados no processo de tratamento de esgoto.

Compartilhe:

Deixe seu recado