Por 59 votos a 21, plenário do Senado aprova denúncia contra Dilma

A expectativa é que o julgamento final da presidenta ocorra ainda este mês. As sessões de julgamento devem ser agendadas a partir do dia 25 de agosto.

Defesa

De acordo com o rito, acusação e defesa terão 48 horas para apresentar, respectivamente, o libelo acusatório e sua contrariedade, juntamente com até cinco testemunhas legais e mais uma extranumerária para cada uma das partes.

À imprensa, José Eduardo Cardozo informou disse que vai utilizar as seis testemunhas. Já Miguel Reale Jr, advogado da acusação, comunicou que entregará em 24 horas o libelo acusatório e utilizará três testemunhas.

Na última etapa, após o depoimento das testemunhas, os senadores decidirão pela condenação ou a absolvição de Dilma. Na fase final, é preciso o voto de 54 dos 81 senadores para confirmar o impedimento.

Destaques

Logo após a aprovação do texto, os senadores votaram três destaques propostos pela oposição.

O primeiro queria a retirada da denúncia da imputação de crime de responsabilidade por repasses não realizados ou realizados com atrasos pelo Tesouro Nacional ao Banco do Brasil, relativos à equalização de taxas de juros referentes ao Plano Safra, no exercício de 2015. O texto de Anastasia foi mantido por 58 votos a 22.

Os outros dois destaques estavam relacionados a decretos de créditos suplementares sem autorização do Congresso Nacional; o primeiro no valor de R$ 29,9 bilhões e o segundo de R$ 600 milhões. Os dois destaques foram rejeitados. O primeiro também por 58 a 22 e o segundo por 59 a 21.

Veja como votou cada Senador e Senadora:

Fonte: Portal CTB

Compartilhe:

Deixe seu recado