Professores fazem paralisação de 24 horas na rede estadual

O sindicato dos professores (APLB) afirma que a intenção é cobrar do governo a reabertura da mesa de negociações. Um ato público na Praça da Piedade está programado para as 9 horas. Segundo o presidente da APLB, Rui Oliveira, não houve consenso entre a categoria e o governo do Estado sobre o reajuste salarial.

Inicialmente, o sindicato propôs 22,2% até o final deste ano. O governo então acenou com a possibilidade de parcelamento do reajuste: 6,5% (pagos em janeiro), 7% em novembro e mais 7% em março de 2013.

A greve terminou, conforme o sindicalista, porque o Estado aceitou readmitir os professores do Reda demitidos durante os dias do movimento, devolver os salários cortados durante quatro meses, retirar os processos administrativos contra os professores em estágio probatório e os processos judiciais contra a APLB.

O Estado teria ainda aceitado devolver três meses de recursos da contribuição sindical retidos.

Compartilhe:

Deixe seu recado