Projeto mostra vozes de mulheres assediadas nas ruas de Salvador

O objetivo é evidenciar os casos de assédios sexuais e moral sofridos por mulheres nas ruas da capital.

Os depoimentos são marcantes e não param durante 50 minutos seguidos. “A idéia é que pareça não ter fim. Como parece não ter fim o assédio que a gente sofre”, diz a idealizadora do projeto, Larissa Novais.

O “Tô na rua, mas não sou sua” nasceu de um trabalho de conclusão do curso (TCC) de Larissa. “Resolvi unir a inquietação que eu tinha, com os assédios do meu dia a dia, com a percepção de que é necessário ocupar os espaços públicos, que são, basicamente, os locais onde esse tipo de violência acontece”.

A partir desse pensamento, ela passou a procurar vítimas para contarem as próprias histórias. “Criei um fórum no Facebook, na esperança de colher entre 10 a 15 casos. Em uma só noite, recebi 167 relatos”, contou Larissa.

A iniciativa fica na Praça do Campo Grande até as 17h da quinta-feira (25/8), como uma forma de intervenção pública.

Fonte: CTB Bahia

Compartilhe:

Deixe seu recado