Riachuelo, Centauro, Havan e Polishop querem fim da aposentadoria

Quem lidera uma “tropa de choque” pela reforma da Previdência são os empresários do comércio Flávio Rocha (Riachuelo), Sebastião Bomfim (Centauro) e João Apolinário (Polishop) e Luciano Hang (Havan). Segundo matéria do Estadão, eles chegaram ao ponto de abrir escritório de lobby em Brasília para aprovar o fim da aposentadoria garantida pelo Estado.

O grupo age em vários campos, desde postagens nas redes sociais até visitas ao Congresso Nacional para pressionar deputados e senadores a aprovarem a proposta de Bolsonaro e Paulo Guedes. Segundo o Estadão, tem até convite para ocuparem uma sala dentro do Ministério da Economia. Os empresários criaram o Movimento Brasil 200 e fazem corpo a corpo com os parlamentares para recolher assinaturas dos que se comprometem a votar a favor da reforma.

O jornal diz ainda que a Secretaria da Previdência ofereceu um espaço para o grupo participar da elaboração de ajustes à proposta do governo. Eles contam com a atuação do Instituto do Desenvolvimento do Varejo (IDV), que envolve grandes empresas e realizou reuniões sobre a reforma da Previdência com líderes no Congresso e ministros do Supremo Tribunal Federal (STF), em 2018.

Veja a que ponto chegou o dono da Havan, Luciano Hang: criou a campanha nas redes sociais “Previdência ou morte”. Chegou a hora de os trabalhadores também entrarem no jogo e não deixar que os patrões joguem sozinhos.

Veja a matéria do Estadão 

Compartilhe:

Deixe seu recado

Deixe seu recado