Semana de vitória da democracia

Já no domingo, 13 de dezembro, os golpistas fizeram manifestações fracassadas, pífias e sem a presença de povo. Procure nas fotos desta manifestação a presença de negros, por exemplo.

Além disso, foi emblemático dia que os golpistas escolheram para ir às ruas, é a mesma data que, em 1968, era decretado o AI-5, o chamado golpe dentro do golpe, que resultou no completo sufocamento da democracia e nas maiores violências cometidas contra o povo brasileiro.

Na terça-feira (15), nova derrota dos golpistas: o Conselho de Ética abre processo de cassação de Eduardo Cunha e a Polícia Federal vasculha casas e escritórios de Cunha.

Já na quarta-feira (16), ao contrário das manifestações pró-golpe, milhares de brasileiros saem às ruas em defesa da democracia e do legítimo mandato da presidenta Dilma. No mesmo dia, Cerveró denuncia que o esquema das propinas na Petrobras, iniciou no Governo de FHC.

A quinta-feira (17), foi outro dia histórico. Pela primeira vez na história país, um tucano é condenado: Eduardo Azeredo, do PSDB e braço direito de Aécio, é condenado pelo mensalão tucano de Minas.

Além disso, o Procurador Geral da República, Rodrigo Janot, pede o afastamento de Eduardo Cunha da presidência da Câmara.

E, para completar, o STF derrubou a falcatrua montada por Eduardo Cunha, na criação de comissão especial para analisar a proposta de impeachment, numa sessão arbitrária e tumultuada da Câmara dos Deputados. Graças a uma ação impetrada pelo PCdoB, o Supremo Tribunal Federal zerou tudo.

Mas, a luta ainda não está acabada. Eduardo Cunha ainda não saiu da presidência da Câmara e sua tropa se prepara para um novo pacote de maldades e golpes. É preciso estar atento e mobilizados. #NãoVaiTerGolpe

Compartilhe:

Deixe seu recado