Seminário aponta diretrizes para a cultura comerciária

A atividade faz parte da série de seminários dos setores e secretarias do Sindicato, para planejar e organizar a atuação da entidade, nas suas mais variadas áreas. A abertura ficou a cargo dos secretários de cultura, Anderlei Costa e Rubiraci Almeida (Cherry).

O diretor Rai Alves iniciou sua exposição avaliando o papel da cultura como elemento de transformação. Segundo ele, os espaços para produção de manifestações culturais, já conquistados pela categoria comerciária, é reflexo do comprometimento das direções anteriores com o tema.

IMG_7086

“Cultura não é apenas diversão. Deve ser elemento de reflexão na construção de uma cultura com identidade de classe”, pontuou o diretor.

Javier Alfaya, secretário de cultura do PCdoB, disse que é preciso se travar um debate sobre os valores culturais, as questões ideológicas que circundam a cultura. Neste sentido, Alfaya provocou os presentes questionando sobre o que é cultura, qual é o seu conceito, o que é arte, tradição e identidade.

Segundo Javier, a resposta está ligada ao projeto de sociedade que se tem, o que se é e o que se quer ser. Ele também sinalizou que há um certo desprezo da força que o movimento sindical pode empreender, em relação à cultura.

IMG_7068

“É necessário que os equipamentos culturais sejam utilizados para fazer a luta de ideias”, afirmou o secretário. Javier Alfaya propôs, assim, que os sindicatos criem “cineclubes” que, com a projeção de filmes engajados nos mais diversos temas de interesse de classe, se faça a disputa dos “corações e mentes”, para uma sociedade mais avançada.

Após a exposição dos palestrantes, foi realizado o debate e a construção de um mapa de propostas a serem implementadas pela secretaria de cultura do Sindicato.

 

Por Sônia Corrêa – Ascom Comerciários de Salvador

Compartilhe:

Deixe seu recado