Servidores estaduais da saúde iniciam paralisação de advertência

Organizados pelo Sindsaúde, os servidores promoveram apitaço e bandeiraço pelo retorno da insalubridade que foi retirada de muitos servidores em 2015, pagamento das progressões com retroativo a novembro 2014, contra o assédio moral nas unidades, realização de concurso publico para todas as áreas, dentre outras reivindicações.

“Não vemos nenhuma disposição e sensibilidade do governo em atender as nossas reivindicações. Pelo contrário. O que estamos vendo é cada vez mais nossos direitos sendo retirados. Por isso existe a necessidade de voltarmos às ruas. É nas ruas que o governo vai ver a nossa força e que não pode desvalorizar e desqualificar os trabalhadores. Temos que estar mobilizados e com força”, conclamou o presidente do Sindsaúde, Silvio Roberto dos Anjos e Silva.

Ele salientou que o governo vem desrespeitando as duas liminares concedidas pelo Tribunal de Justiça da Bahia que determinam que o governo do estado retorne o pagamento da insalubridade e se pronuncie sobre o reajuste. “O governo não cumpre as determinações e não estão tendo qualquer penalidade”, pontuou.

Os servidores amargam perdas de mais de 18% em três anos, sendo 10,67% somente em 2015 e o restante resultado da política de parcelamento do IPCA em 2013 e 2014. O governo alega que não possui recursos, mas vem praticando um ajuste fiscal que penaliza somente o funcionalismo público, com as mudanças praticadas no Planserv e o corte de diárias e gratificações.

A vice-presidente do Sindsaúde-Ba,Tereza Deiró destacou que muitos servidores já se encontram com salário base abaixo do mínimo e que a situação dos trabalhadores da Saúde é ainda mais dramática, pois a categoria vem acumulando perdas de direitos, através de medidas perversas praticadas pelo governo do estado nos últimos dois anos.

Ela alertou que os servidores públicos estaduais já preparam a pauta da campanha salarial de 2017 para ser entregue em novembro, já que a data base da categoria é em 1º de janeiro.

Tereza falou ainda que a intenção é fortalecer o movimento para uma possível paralisação geral. “Essa paralisação ainda é de alerta. A nossa intenção é construir um movimento ainda maior”, destacou.

Agenda de mobilização dos servidores da saúde

27/10/2016 – SEMINÁRIO “Riscos do trabalho em saúde: o que fazer diante das ocorrências de agressões sofridas pelos (as) trabalhadores (as) da saúde”

09/11/2016 – Paralisação de 12 horas dos servidores do Hospital Geral Roberto Santos com manifestação a partir das 8H

17/11/2016- Paralisação de 12 horas dos servidores do Complexo hospitalar Cezar Araújo – Pau Miúdo, (H. E.O.M e H. E. S. Filho com manifestação a partir das 8h

23/11/2016 – Paralisação de 24 horas dos servidores do Grupo Ocupacional Técnicos Administrativos da SESAB – CAB a partir das 8h

25/11/2016 – Paralisação de 12 horas dos servidores do CAS com manifestação a partir das 8H.

30/11/2016 – I Encontro dos Profissionais da Enfermagem do Estado da Bahia, hotel Sol Barra, Período integral das 08 às 17h.

Fonte: CTB Bahia

Compartilhe:

Deixe seu recado