Shopping Barra – Nós não vamos pagar nada!

“Somos nós, trabalhadores, que geramos riqueza e que colocamos os shoppings em funcionamento, e qualquer taxa que venhamos pagar será um absurdo. Porque sem o trabalhador nada funciona. Nossa proposta é pela isenção de taxa de estacionamento para os trabalhadores, em especial para os comerciários. Hoje estamos no shopping da Bahia, amanhã estaremos no Barra e quarta-feira no Salvador preparando uma invasão. Vamos ocupar os shoppings da cidade”, afirmou Jaelson Dourado, presidente do Sindicato. A entidade entrou com uma Ação Cautelar no Ministério Público da Bahia solicitando que a cobrança seja derrubada e aguarda julgamento.

O Piedade, Center Lapa, Salvador, Salvador Norte, Shopping da Bahia, Barra e Paralela iniciaram a cobrança dia 22/6. O valor das duas primeiras horas varia de R$ 5 a R$8. Já o valor da hora subsequente varia de R$1 a R$2. Com uma carga horária média de 8 a 9h/dia, ao final do expediente o comerciário terá uma despesa de R$ 16 a R$22.

Na sexta-feira (3) o Salvador Shopping anunciou tarifa para comerciário mensalista no valor de R$ 150 para carro e R$100 para moto. O Barra informou R$ 135 para carro e R$ 90 moto. No caso do Paralela o valor será de R$ 60 para ambos veículos.

A cobrança não é justa com a categoria, que já é penalizada com os diversos problemas vividos no ambiente de trabalho. O sacrifício do trabalhador para adquirir o próprio veículo é com o objetivo de driblar o péssimo transporte público da cidade e preservar sua integridade física, tendo em vista que muitos deixam o local de trabalho após as 22h. Além disso, cobrar estacionamento dos profissionais que laboram nos shoppings e impor onde ele deve guardar o veículo é uma forma de discriminação, porque acaba determinando quando e como ele vai gastar seus recursos.

A categoria vai discutir o tema durante uma Audiência Pública que será realizada na Câmara Municipal de Salvador, nesta quinta-feira (9), às 14hs, no auditório do Edifício Bahia Center. Na ocasião, estarão presentes representantes das associações de lojistas, Procon, Ministério Público, Ministério Público do Trabalho, Sucom, entre outros.

Compartilhe:

Deixe seu recado