Sindicato celebra o 20 de Novembro no Shopping Iguatemi

Com carro de som, faixa, bandeiras e panfletos, os dirigentes se revezavam em discursos, mostrando a discriminação racial que existe no comércio. Além das denúncias, o ato conclamou a categoria para a grande atividade, na parte da tarde, com a presença do presidente Lula que assinaria vários decretos e o Estatuto da Igualdade Racial.

Para Jaelson Dourado, presidente do Sindicato, a presença do presidente Lula teve um significado especial. “Salvador é a cidade mais negra fora da África e o 20 de Novembro é muito especial para nós. Estamos aqui exigindo que o fim da discriminação no mercado de trabalho, especialmente no comércio”, afirmou.

O dirigente tem razão, confirmada por uma pesquisa do Dieese (Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos), no comércio, os negros recebem 64,9% do rendimento dos não-negros. Outra pesquisa, da Previ, o fundo de pensão dos empregados do Banco do Brasil, mostra que, nas 114 maiores empresas do País, negros e pardos ocupam apenas 2% dos cargos de gerência média e diretoria.

Avanços importantes

O ato, realizado em conjunto com a CTB (Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil), mostrou que o Estatuto é um avanço importante. Pois garante, entre outras conquistas, incentivos fiscais para empresas que contratarem, no mínimo, de 20% de negros, proíbe a exigência de boa aparência e foto no currículo e incentiva atividades produtivas rurais para os negros.

Após 314 anos da morte de Zumbi dos Palmares, herói nacional, observamos avanços na luta contra o racismo e na promoção social da população negra, especialmente após o governo do presidente Lula. Estudos do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA), registram a crescente diminuição da desigualdade entre ricos e pobres: Nos últimos dez anos, 22,8% da população brasileira saíram da base da pirâmide social.

Compartilhe:

Deixe seu recado