Sindicato em evento da Setre pela valorização do trabalho

O evento teve como palestrantes o ex-sindicalista e professor de Economia da Ufba Renildo Souza e o secretário do Trabalho Nilton Vasconcelos, e representantes da centrais sindicais como debatedores. O Sindicato dos Comerciários foi representado pelos dirigentes Jaelson Dourado, presidente, e Cherry Almeida.

– Iniciativas como essa da Setre são fundamentais para avançarmos, na prática, para uma efetiva valorização do trabalho na Bahia. A agenda do trabalho decente implantada aqui é referência internacional, mostrando que o governo está empenhado nessa questão. O Sindicato estará participando de outros eventos dessa natureza – disse Jaelson Dourado.

Avanços e limites

Renildo Souza afirmou que valorizar o trabalho é fundamental para melhorar a distribuição de renda em qualquer economia. “O Brasil avançou muito durante o governo Lula, mas ainda temos muitos limites para superar nesse tema”, disse.

O professor fez um comparativo entre o Brasil e os EUA, detentores de 25% da economia mundial e em crise desde 2007. “A recuperação americana não recuperou os empregos e os salários, que tiveram queda real nesse período. São 14 milhões de desempregados e 2 milhões de despejos ao ano na maior economia do mundo”, pontuou.

Segundo Souza, o Brasil saiu da década de 1990, período de grande precarização do trabalho com as políticas neoliberais de Collor e FHC, e iniciou um novo ciclo positivo. “O Estado passou a ter o papel de indutor da economia e os salários foram valorizados com a política de recuperação do salário mínimo”, comparou.

Ao final, o ex-sindicalista ressaltou que sem crescimento econômico permanente não haverá valorização do trabalho. “O Brasil precisa também de uma Câmara Setorial para pensar a valorização do trabalho, como a que foi criada para pensar a competitividade, que fica ao lado da sala da presidenta Dilma e é comandada pelo empresário Jorge Gerdau”, finalizou.

Políticas públicas

O secretário Nilton Vasconcelos destacou a importância de o governo promover políticas públicas e a participação dos segmentos ligados ao tema. “O diálogo entre governo, empresários e trabalhadores é essencial para alcançarmos a tão desejada valorização do trabalho. Dados do Ministério do Trabalho mostram que o mercado formal de trabalho cresceu significativamente. Nos últimos oito anos foram gerados 15 milhões de empregos com carteira assinada”, informou.

Vasconcelos destacou que o desemprego caiu em muitas regiões metropolitanas do país. “Na RMS o índice caiu mais ainda é muito alto. São 300 mil pessoas desempregadas. Vamos perseguir a regressão desses índices com ações concretas. Aproveito para convidar os sindicatos e as centrais sindicais a participarem da Conferência Estadual do Trabalho Decente, em setembro”, disse.

Compartilhe:

Deixe seu recado