Sindicato nas ruas: Impeachment sem crime, é golpe!

“É comum que as pessoas que recebem uma enxurrada de acusações desconectada através da mídia confundam o processo de impeachment com a luta para combater a corrupção”, disse o presidente de Sindicato, Jaelson Dourado.

Ele esclareceu que contra a presidenta Dilma não há nenhuma acusação que a envolva em atos ilícitos ou de corrupção. Também deixou claro que a presidenta não cometeu nenhum ato que configure crime de responsabilidade ou improbidade. “A acusação que pesa sobre a presidência são as pedaladas fiscais, que nada mais é do que o atraso pelo tesouro de repasse dos recursos aos bancos públicos que administram programas sociais”, falou o presidente.

Raposa cuidando do galinheiro

“É o mais completo absurdo que uma presidenta que não tem, sequer, uma acusação de desvio de nem um centavo de dinheiro público, seja julgada por um grupo de deputados envolvidos nos mais variados atos de desvio de dinheiro público, propinas e corrupção, a começar por Eduardo Cunha”, lembrou Jaelson.

Para o presidente do Sindicato, colocar Cunha para coordenar uma votação que julgue uma mulher que não cometeu nenhum crime, é o mesmo que colocar uma raposa para cuidar do galinheiro.

Jaelson afirma que não há outro nome para justificar a tentativa de impeachment, que não seja golpe, à medida que se utiliza de um dispositivo constitucional, sem a existência de crime de responsabilidade.

Compartilhe:

Deixe seu recado