Sindicato paralisa comércio na avenida Sete nesta quarta-feira (24)

Após cinco rodadas de negociações, tanto o Sindicato dos Lojistas do Comércio do Estado da Bahia (Sindilojas) e quanto o Sindicato dos Supermercados e Atacados de Auto Serviço (Sindisuper) se mostraram irredutíveis em relação às reivindicações apresentadas pela entidade. Eles oferecem apenas 4,36% de reajuste. Valor considerado irrisório diante dos ganhos do comércio.

Em 2009, segundo dados do IBGE, o comércio varejista baiano cresceu 7%, o que significa que houve aumento no lucro das empresas e que, no entendimento do Sindicato, não justifica que as reivindicações não sejam atendidas. ”O nosso entendimento, é que nós devemos aumentar o tom. É hora de preparar para radicalizar. Para garantir um bom acordo para os trabalhadores do comércio de Salvador. É hora de aumentar a pressão”, afirmou Jaelson Dourado, presidente do Sindicato dos Comerciários.

Além disso, os sindicatos patronais dizem que não pretendem alterar o valor pago nos domingos e feriados e se recusam sequer discutir a redução da jornada de 44 para 40 horas semanais. Esse ano, o tema da campanha salarial do comércio está em sintonia com mais um ano positivo do comércio: “Quem faz o comércio crescer, merece mais valor” e nessa linha vamos trabalhar para garantir os nossos direitos

As principais reivindicações da categoria:

Reajuste salarial de 11%

Proteção salarial: reajuste para a categoria quando o Salário Mínimo tiver aumento;

Dia dos Comerciários em 18 de outubro;

Comissionados: garantia de percentual para evitar redução das comissões;

Domingos: valor de R$ 25, sistema 1×1 (trabalha um domingo, o outro, não), jornada de 6h, folga, transporte e alimentação;

Feriados: valor de R$ 35, folga, transporte, jornada de 6h e alimentação;

Mãe comerciaria: dias abonados para acompanhamento de filhos ao médico.

Compartilhe:

Deixe seu recado