Campanha por alimentação digna no comércio

A cidade cresceu e o comércio expandiu, mas o número de restaurantes do Sesc continua o mesmo há 20 anos. São 3 unidades que funcionam na parte central da cidade: Comércio, Rua Chile e Nazaré, e não atendem a demanda de cerca de 120 mil trabalhadores da categoria.

Altos preços das refeições

Em locais como Barra e Iguatemi o comerciário é prejudicado com os altos preços praticados nos restaurantes. Muitas vezes os trabalhadores lancham no horário do almoço porque o valor do tiket é insuficiente para uma refeição. “Esta Campanha tem como objetivo pressionar as entidades patronais para a criação de novos restaurantes para os trabalhadores, que produzem muito e merecem ser bem tratados. Em locais de grandes concentrações de comércio não há alternativas baratas para uma refeição digna e de qualidade. Na região do Iguatemi, por exemplo, uma refeição custa, em média, R$ 12,00, e o valor do tiket é R$ 6,90”, declarou Jaelson Dourado, Presidente do Sindicato.

Gasto médio

O comerciário JS, que trabalha em uma loja do Iguatemi, gasta, em média, 10% do salário com alimentação porque a empresa onde trabalha não fornece refeição ou tícket. E quando ele leva o almoço de casa não tem onde fazer a refeição, porque não há espaço na loja. “Acho a campanha justa porque é na empresa que o trabalhador passa a maior parte do seu tempo, e durante esse período precisa estar bem alimentado para produzir mais e melhor”, afirmou.

Conscientização e sucesso da campanha

Nas próximas semanas o Sindicato estará em diversos pontos da cidade, a fim de atingir um maior número de comerciários e conscientizar os empresários, para garantir o sucesso da campanha. “O comerciário sai de casa cedo para trabalhar e muitas vezes não tem uma boa alimentação, e na hora do almoço se alimenta de sanduíche. Isso vai levá-lo a um problema de saúde no futuro. Precisamos mudar essa realidade para que os comerciários tenham uma alimentação digna. Com uma boa alimentação vai se sentir bem na empresa, produzir mais e se sentir valorizado”, disse Cherry Almeida, diretora do Sindicato.

Supermercados

A Campanha também exigirá alimentação digna e de qualidade nas empresas que fornecem refeição através de refeitórios, como ocorre em alguns supermercados. Segundo denuncias dos comerciários, as empresas recolhem produtos vencidos, estragados ou danificados por roedores para preparar a alimentação dos funcionários. “No setor de supermercados a alimentação servida ao trabalhador é pior do que nos outros locais. As empresas precisam entender que uma boa alimentação reflete na qualidade de vida, em saúde e desempenho do trabalhador”, declarou Marcelo Bizerra, diretor do Sindicato .

Lucro e crescimento

As empresas não revertem os lucros em benefício para o trabalhador. “O faturamento das empresas crescem, são exigidos maiores esforços mas a vida e a saúde dos trabalhadores são deixados de lado. O trabalhador mal alimentado não vai produzir bem. Precisamos de restaurantes do Sesc em grandes centros comerciais”, completou Adilson Alves, Presidente do SintraSuper.

Compartilhe:

Deixe seu recado