Supermercados “empacam” e só querem repor a inflação

Na última rodada de negociação com o setor de supermercados, dia 27/5, os patrões bateram o pé na última proposta que fizeram: reajuste salarial de 3,94% (só a inflação do período), reajuste para demais cláusulas econômica de 2,80%, jornada normal nos dias de domingos e acabar com o Dia dos Comerciários.

Logicamente, o SintraSuper não aceitou. “O setor cresceu 2,07% no ano passado e todo mundo sabe que durante um ano, há aumentos nos preços dos produtos. Mas, os trabalhadores ficam com o salário congelado. Nós queremos reajuste que reponha a inflação e assegure mais um ganho real. Também não aceitamos o fim do Dia dos Comerciários”, afirma Adilson Alves, presidente do Sindicato.

Para o sindicalista, os empresários podem avançar na questão econômica e não retroceder nas cláusulas sociais. “Esperamos que na próxima reunião, dia 10 de junho, eles tragam propostas que representam a valorização dos trabalhadores de supermercados”, enfatiza Alves.

Compartilhe:

Deixe seu recado

Deixe seu recado