Supermercados faturam R$ 338 bilhões em 2016

No último dia 02, foram apresentados os números do setor supermercadista no Brasil durante coletiva de imprensa realizada na Feira APAS 2017.

O levantamento anual realizado pelas consultorias Nielsen, Kantar Worldpanel, GkF e IBOPE, aponta que o setor supermercadista brasileiro faturou R$ 338 bilhões de reais em 2016. Esse resultado representa um crescimento nominal de 7,1% em relação a 2015. Desse montante, o Estado de São Paulo somou R$ 102 bilhões, com geração de 518 mil empregos no período.

De acordo com a Associação Paulista de Supermercados (APAS), para esse ano a expectativa é que o setor cresça entre 1,5% a 2,5% em vendas.

Consumidor emponderado

A trajetória do consumidor em 2016 foi caracterizado por compras emponderadas, aponta estudo inédito da Nielsen. A análise defende que a troca para marcas mais baratas foi o último passo adotado pelo brasileiro para driblar um cenário desafiador. “O shopper está reagindo a essa nova realidade. No último ano ele deu indícios de equilíbrio nas compras. Está mais consciente”, diz Daniela Toledo, diretora de retail service da Nielsen.

Entre os destaques do estudo, a consultoria aponta que 42% dos entrevistados migraram para marcas mais baratas; 22% reduziram o gasto no supermercado e consumiram menos; 7% retraíram a alimentação fora do lar; enquanto 5% diminuíram gasto com vestuário e bens duráveis.

Decisão de compra

A pesquisa da Kantar Worldpanel levanta alguns fatores de decisão para o consumo no ponto de venda alimentar. Na liderança estão as ofertas e promoções, eleita por 55% dos entrevistados como melhor atrativo nas compras. Confiança vem em segundo lugar (51%), seguida por preocupação com itens de qualidade (50%).

“Dentro de categorias básicas o consumidor está escolhendo itens de qualidade. Por exemplo, na categoria de sabonetes, ele escolhe o líquido ao invés da opção em barra”, explica Christine Pereira, diretora da Kantar Worldpanel.

Saudáveis na gôndola

A GkF constatou que os alimentos com forte presença de vitaminas, minerais, fibras e proteínas são incluídos ativamente na dieta dos brasileiros. Isso quer dizer que a tendência de vida saudável chegou às prateleiras do supermercado.

Em seu estudo, a consultoria destaca que produtos ricos em fibra estão presentes em 61% dos carrinhos de compras do País, contra 53% no mundo. “A gente enxerga a busca pela saudabilidade. Frente a uma média mundial, o brasileiro apresenta um comportamento singular e isso deve ser refletido no ponto de venda. A indústria está atenta e o varejo precisa se preparar para oferecer produtos adequados a esse novo momento de consumo”, completa Marco Aurélio Lima, diretor da GfK.

Fonte: newtrade.com.br

Compartilhe:

Deixe seu recado