Supermercados querem mexer no Dia dos Comerciários

Na segunda rodada de negociações, os patrões de supermercados ficaram de avaliar o ganho real de 2% proposto pelo SintraSuper, além da inflação da data-base (3,92%).

Eles confirmaram que mantém as cláusulas sociais da Convenção Coletiva anterior e também garantem as mesmas regras para o trabalho aos domingos e feriados, inclusive reajustando os valores pagos.

O porém está no Dia dos Comerciários. Eles querem acabar com o feriado coletivo da categoria, propondo dar folga na data de aniversário das pessoas. Esse tema e o ganho real voltam ao debate na próxima reunião, dia 26 de março.

DATA HISTÓRICA E IMPORTANTE

“Consideramos importantes os avanços do sindicato patronal, mas Dia dos Comerciários é um ponto essencial para os trabalhadores e as trabalhadoras de supermercados. É o momento em que todas as empresas reconhecem a importância da categoria e do seu trabalho para o setor e nos homenageiam com o fechamento das lojas”, ponderou a presidenta do Sindicato, Rosa de Souza.

De acordo com o dirigente Evangelista Rios, trata-se de uma conquista histórica, importante também para as empresas. “Pela Convenção, as empresas podem até abrir em todos os feriados do ano, pagando esses dias e dando folga. Não podem querer, justamente, mexer em uma data especial para os comerciários”, afirmou.

Participaram, ainda, da reunião os dirigentes Reginaldo Oliveira (presidente da FEC Bahia); Dalva Leite; Anderlei Costa; Taina de Jesus; Antônio Suzart; os dirigentes do sindicato de Lauro de Freitas, José Carlos e Euridéia Mendes, além de Ana Georgina (supervisora técnica do Dieese) e advogados dos sindicatos.

Compartilhe:

Deixe seu recado

Deixe seu recado