Supermercados virtuais são opção de compra em Salvador

Essa comodidade tem um preço. A compra nos supermercados virtuais pesa mais no orçamento do que nos estabelecimentos com estrutura física. O gasto pela internet, por ser até 39% maior, de acordo com levantamento feito pela reportagem de A TARDE, que pesquisou os preços cobrados nos supermercados virtuais de Salvador (Melhor Mercado e Mercado Vip) e em três supermercados com estrutura física (Extra da Rótula do Abacaxi, GBarbosa e Hiperbompreço, ambos da Avenida ACM).

Para a pesquisa, a reportagem elaborou uma lista de compras com 26 itens básicos, entre alimentos, produtos de higiene e limpeza. Foram escolhidos produtos de marcas tradicionais.

Tanto o Melhor Mercado (R$ 118,00), quanto o Mercado Vip (R$ 97,69) apresentaram uma lista mais cara do que os três supermercados tradicionais: Extra (R$ 85,45), GBarbosa (R$ 72,73) e Hiperbompreço (R$72,94).

Apesar dos supermercados virtuais oferecerem produtos mais caros na comparação com os estabelecimentos tradicionais, a reportagem encontrou itens com preços mais competitivos, como é o caso do leite Ninho Integral, que foi encontrado por R$ 6,49 no Mercado Vip e até R$ 7,59 nos supermercados com espaço físico.

A economia é a preocupação da presidente do Movimento das Donas de Casa, Selma Magnavita. “Quem vai comprar nos supermercados virtuais deve observar os preços, nem sempre é a melhor opção”, avalia Selma, que indica que os internautas verifiquem a pesquisa de preço nos supermercados com estrutura física divulgada semanalmente pelo Movimento no site da Associação Baiana de Supermercados (Abase).

O sócio-proprietário do Melhor Mercado, Maurício Rosa Lima, defende que, mesmo com a diferença de preço, a compra virtual ainda é vantajosa. “Por promover comodidade e conforto para os clientes, os preços não são muito mais elevados do que os supermercados (tradicionais). Trabalhamos com a margem de diferença de 5% a 10%. O custo-benefício de não sair de casa, não perder tempo, enfrentar trânsito, vale a pena”, justifica.

Além da diferença de preços, o cliente dos supermercados virtuais ainda terá que arcar com uma taxa de entrega. O Mercado Vip cobra R$ 12 para compras até R$ 100, R$ 9 para quem gasta de R$ 100 a R$ 300 e oferece isenção a partir de R$ 300. Já o Melhor Mercado cobra R$ 14,90 para compras até R$ 300, R$ 11,90 para gastos entre R$ 300 e R$ 500 e isenção a partir desse valor. As duas empresas não cobram a taxa de entrega para a primeira compra.

Diversidade – Com variedade de marcas, os supermercados virtuais ofertam os principais produtos encontrados nos supermercados tradicionais, como itens de higiene pessoal, padaria, material de limpeza, mercearia, carnes, aves e hortifruti.

Para quem sente prazer em fazer compras e passear pelos corredores dos mercados, na web é possível circular pelas “prateleiras on line”, já que os produtos estão separados por categorias, facilitando a navegação. Já quem quer ganhar tempo pode “encher” seu carrinho através da busca rápida, digitando o nome dos itens que pretende comprar.

Comprando pela internet, o cidadão pode aposentar a calculadora e o bloco de notas com as anotações dos preços de cada produto colocado no carrinho. Isso porque, à medida que a compra é feita, o site informa quanto já foi gasto. Essa ferramenta ajuda o cliente a controlar as despesas.

As duas empresas oferecem facilidade de pagamento. Os sites aceitam os principais cartões de crédito e débito, além de tíquete-alimentação eletrônico. O cliente pode pagar por depósito bancário, boleto, cheque ou dinheiro.

“Damos a opção de pagar de forma presencial quando a compra for entregue e após a conferência dos produtos. Isso pode ser feito por pagamento em dinheiro ou cartão”, explica Marcelo Gil, diretor e sócio-proprietário do Mercado Vip. A mesma comodidade é oferecida pelo Melhor Mercado.

Troca – Outra preocupação comum de quem compra algo pela internet é se o produto tem a qualidade desejada. Maurício, do Melhor Mercado, e Marcelo, do Mercado Vip, garantem que os itens entregues nas casas dos clientes seguem critérios rigorosos de qualidade mas, caso o consumidor fique insatisfeito, é possível solicitar a troca.

“Não tem burocracia para a troca, não existe tempo mínimo para solicitar a troca, que pode ser feita na hora da entrega ou depois. Claro que o consumidor deve ter consciência (de armazenar o produto de forma correta)”, explica Marcelo.

A coordenadora de Estudos e Pesquisas do Procon-Ba, Flávia Marimpietri, explica que o prazo de devolução previsto no Código de Defesa do Consumidor para compras pela internet é de sete dias. Ela também ressalta a importância de que o cliente tenha boa fé e se preocupe em acondicionar o produto dentro das condições adequadas.

Para evitar que o produto desagrade o cliente, o Mercado Vip oferta itens da seção hortifruti verdes ou “de vez”. “Na maioria dos sites a escolha é uma loteria, pois não se sabe se o produto vai chegar verde ou maduro. A gente oferece esse diferencial de escolher uma banana verde ou ‘de vez’, por exemplo”, explica Marcelo.

Maurício explica que essa opção não está disponível na seção de hortifruti do Melhor Mercado, mas que o cliente pode colocar a observação se quer um tomate maduro ou verde, por exemplo, quando finaliza a compra.

Outra preocupação dos clientes é em relação à validade dos produtos perecíveis. Flávia Marimpietri do Procon-Ba diz que os sites têm a obrigação de informar os prazos nas suas páginas, o que não foi encontrado em nenhum dos dois supermercados virtuais.

Mas Marcelo, do Mercado Vip, diz que a empresa só trabalha com prazo de validade extenso. “Se o produto tem menos de 15 dias para vencer, a gente liga para o cliente para verificar se autoriza o envio. No geral, só mandamos produto com validade bem extensa”, garante. A filosofia do Melhor Mercado é semelhante, de acordo com Maurício.

Um diferencial do Mercado Vip é permitir a compra de carnes salgadas com peso inferior a 1 kg. É possível comprar 250g ou 500g de alguns tipos de carnes, além de escolher se elas serão entregues com o pedaço inteiro, moídas ou cortados para fazer bife ou estrogonofe.

Compartilhe:

Deixe seu recado