Tarifa de ônibus pode subir para R$ 3,15

A informação foi anunciada pelo Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros de Salvador (Setps) no início da tarde de ontem. De acordo com o Setps, após a avaliação do impacto da decisão da Justiça, com a atualização salarial, o custo por passageiro que era de R$ 2,96 passará para R$ 3,15.

O superintendente do Setps de Salvador, Horácio Brasil, lembrou que em dezembro do ano passado, o sindicato já havia enviado um pedido de aumento de tarifa que foi rejeitado pela prefeitura.

“Estamos apresentando o pedido novamente. O aumento é importante para que o serviço não seja prejudicado. Com os reajustes salariais dos rodoviários, o aumento da tarifa é inevitável. A atual tarifa, de R$ 2,50, está defasada há seis meses em relação ao custo real de cada passageiro, que era estimado em R$ 2,96 até a decisão da Justiça”, explicou.

Além do reajuste de 7,5% nos vencimentos e de 4,90% no valor do tíquete-refeição, a Justiça determinou o retorno do pagamento do quinquênio aos rodoviários, mais acréscimo de 5% do salário-base aos trabalhadores com cinco anos de serviços efetivos e contínuos na mesma empresa. Somente com o pagamento do quinquênio, que alcança 70% dos 18 mil trabalhadores, o aumento no custo mensal fica em torno de R$ 700 mil, segundo cálculos técnicos.

Segundo os empresários do setor, a soma de reajuste salarial e benefícios geram um impacto da ordem de R$ 5,9 milhões mensais. Com o realinhamento, a mão de obra, que era 46,7% na composição da planilha de custos, aumentou para 49,7%.

“Somados, os reajustes concedidos nas campanhas salariais de 2011 e 2012 (8,0% e 7,5% respectivamente) acumulam o índice de 16,1% nos custos referentes aos salários, em um ano, com a tarifa congelada no mesmo período. Porém, podem existir outros meios para se tratar o assunto. Um seria o subsídio público, que está previsto na legislação, ou então a prefeitura repassa direto para o usuário. Nesse caso, a decisão é da gestão municipal”, pontuou Horácio Brasil.

Ainda de acordo com ele, o poder público deveria bancar as gratuidades para idosos, deficientes, policiais e carteiros. “O valor do aumento para R$ 3,15 também se deve aos custos dos gratuitos. A prefeitura não subsidia as gratuidades nos ônibus”, disse.

Responsável pelo transporte público na cidade, a Secretaria Municipal de Transportes e Infraestrutura (Setin) confirmou o recebimento do pedido, mas ainda não quis se pronunciar sobre o assunto, alegando que o material será analisado hoje pela manhã por técnicos da prefeitura e representantes do Setps.

Usuários reclamam de possível aumento

Com o possível aumento da tarifa de ônibus, diversas pessoas que utilizam diariamente o transporte público em Salvador reclamaram do novo pedido do Steps feito à Prefeitura e afirmaram que o aumento é abusivo.

“É inadmissível um aumento desses. Há pouco tempo a passagem já tinha aumentando, e agora estão querendo fazer isso novamente. Vamos pagar mais de R$ 6 por dia apenas para ir trabalhar. Os empresários têm que entender que o povo baiano não tem dinheiro para custear esse preço diariamente”, reclamou o estudante Rogério Alves.

De acordo com o vendedor José Aragão, a população de Salvador precisa se mobilizar para impedir a aprovação do aumento. “O Setps ainda vai colocar a culpa nos rodoviários. O Setps é um sindicato patronal e não um órgão da prefeitura, mas deveria ser. Não é possível que a prefeitura deixe o controle do transporte público nas mãos de um sindicato que é dono de empresas de ônibus. Precisamos ir às ruas contra o aumento abusivo”.

Para o advogado Felipe Meira, o aumento seria aceitável se a qualidade do transporte público melhorasse. “Acredito que muitas pessoas não terão condições de pagar o preço de R$ 6,30 por dia. Além disso, tenho amigos que precisam pegar mais de dois ônibus, imagina a quantidade de gastos que eles terão com esse aumento. Ainda se os ônibus fossem confortáveis, rápidos e seguros, não teríamos tantos usuários reclamando do aumento”, contou.

O superintendente do Setps de Salvador, Horácio Brasil, avaliou como “muito ruim” a qualidade do serviço do transporte público de Salvador. “Falta infraestrutura municipal. Com a grande quantidade de engarrafamentos, é quase impossível prestar um serviço eficiente”, afirmou.

Compartilhe:

Deixe seu recado