Trabalhadores da Guaibim pedem socorro

Os profissionais informaram que trabalham além da jornada todos os dias e não recebem horas extras; não tem direito a horário de almoço e o salário é incompatível com a função e com o mercado. Enquanto nas demais lojas a comissão é de 3% a Guaibim insiste em pagar 0,75%.

Para receber fardamento e crachá com foto os trabalhadores tiveram que brigar. Além disso, a rede não paga auxílio periculosidade. Há casos em que é necessário 2 profissionais para montar determinados móveis e a empresa manda apenas 1 para a casa do cliente. Como se não bastasse, o plano de saúde é R$ 300! Como o trabalhador que que ganha o piso do comerciário vai pagar esse valor de plano de saúde?

O pior de tudo é que quem reclama ainda recebe ameaças. Assim não dá!

O Sindicato já ouviu os trabalhadores e vai acionar o departamento jurídico para que tome as devidas providências.

Compartilhe:

Deixe seu recado