TRACK&FIELD: mais que uma marca, um estilo de exploração!

Se a missão da empresa nesses 30 anos é aproximar pessoas e ser mais que uma marca, a realidade prática na relação com os funcionários mostra o contrário. Pregar o bem-estar dos “colaboradores” e não respeitar seus direitos básicos mostra como a TRACK&FIELD está fora da moda.

Então, vejamos: no final do ano, a empresa expôs os trabalhadores à possibilidade de violência ao não lhes assegurar o retorno em segurança para suas casas. Sem contar que não respeitou os intervalos de intrajornada (repouso e alimentação), que é o período de descanso entre o término de uma jornada diária de trabalho e início da outra. Esse benefício tem o objetivo de garantir aos trabalhadores e trabalhadoras a recuperação física e mental, evitando acidentes de trabalho.

É bom lembrar que a empresa está obrigada a remunerar o período suprimido com um acréscimo de no mínimo 50% sobre o valor da remuneração da hora normal de trabalho (Lei nº 13.467/2017), assim como o adicional noturno.

O Sindicato convocará a empresa para uma reunião, visando a correção dessas violações. Quem trabalhou nessa situação em outras lojas, deve procurar a entidade para que possamos tomar providências.

Compartilhe:

Deixe seu recado

Deixe seu recado