Vendas crescem 10,4% em abril e Sindicato cobra reajuste salarial

Mesmo ainda com a pandemia, o comércio baiano se recupera e mostra sua força. Em abril, as vendas cresceram 10,4%, se comparado a março, representando a maior alta para o mês desde 2000 e a maior desde agosto de 2020. Os dados são da Pesquisa Mensal de Comércio (PMC), do IBGE, e analisados pela Superintendência de Estudos Econômicos e Sociais da Bahia (SEI), autarquia vinculada à Secretaria do Planejamento (Seplan).

Para o presidente do Sindicato dos Comerciários, Renato Ezequiel, o resultado mostra o retorno da confiança do consumidor. “A população se adapta ao momento da pandemia para seguir comprando aquilo que lhe garante a sobrevivência. E grande parte do seu consumo é no comércio”, diz.

Segundo ainda o dirigente, é hora de negociar o reajuste salarial da categoria. “Todo aumento que os comerciários recebem volta para o comércio. Os lojistas precisam retomar as negociações para a assinatura da Convenção Coletiva. O comércio é um dos termômetros da recuperação da economia. Se melhorou, tem que dar a contrapartida aos trabalhadores”, defende.

A pesquisa mostra que, se comparando as vendas de abril 2021 com o mesmo mês do ano passado, as vendas na Bahia cresceram 36,6%. No acumulado do ano, a taxa foi positiva em 5,0%. Foi melhor do que no país, quando a expansão foi de 23,8%, e 4,5% em relação à mesma análise, respectivamente.

POR SETOR

O crescimento foi positivo também por segmentos: Tecidos, vestuário e calçados (201,2%); Artigos de uso pessoal e doméstico (191,2%); equipamentos e materiais para escritório, informática e comunicação (151,8%); Móveis e eletrodomésticos (138,0%); Livros, jornais, revistas e papelaria (118,8%); Combustíveis e lubrificantes (34,6%), e Artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos, de perfumaria e cosméticos (27,8%).

Quanto aos subgrupos, igualmente positivas as vendas: Eletrodomésticos (151,4%) e Móveis (105,2%).

VAREJO AMPLIADO

O comércio varejista ampliado (varejo e mais as atividades de Veículos, motos, partes e peças e de Material de construção) teve expansão de 51,9% nas vendas, em relação à igual mês do ano anterior. No acumulado dos últimos 12 meses, a variação foi negativa em 1,7%.

Em relação a Material de construção, as vendas no mês de abril cresceram 21,9%, na comparação com o mesmo mês de 2020. Para o acumulado dos últimos 12 meses o crescimento foi de 13,5%.

Com informações da Seplan

Compartilhe:

Deixe seu recado